Couve flor e brócolis gratinados com toque de mostarda

Se você é desses que “esquece” da salada no inverno, saiba que existem muitas versões de pratos quentes com legumes deliciosos para aquecer de forma saudável!

Legumes gratinados é uma opção, mas não vale com molho feito com leite e trigo e nem batata inglesa ne?! Hahah


Essa receita é rapidinha de fazer!

Ingredientes:

1/2 cabeça de couve flor

1/2 cabeça de brócolis chinês

Molho:

1xic de castanha de caju crua deixada de molho

1 copo de água

2/3 xícara biomassa amolecida

1/3 xic de azeite de oliva

1 colher de sopa de mostarda (usei com grãos)

Sal e pimenta a gosto

1colher de chá de curcuma (açafrão da terra)

Modo de preparo

Corte a couve e o brócolis em “arvores”, ferva água em uma panela e coloque a coive flor por 2 minutos, retire e passe agua fria e em seguida o brocolis por 1 minuto, retire e passe água fria. Esse processo de chama BRANQUEAR.

Para o molho: bata a castanha com 1 copo de agua ate ficar cremosa, em seguida acrescente a biomassa e os outros ingredientes. Acerte o sal.

Coloque em uma assadeira a couve e brocolis. Regue com o molho e leve para assar a 200°C por cerca de 15 minutos ou até dourar (se você tiver dourador, use!).

Sirva em seguida! Espero que gostem!

*caso sobre o molho, guarde em geladeira e use como pastinha ou como molho para outra receita!

Dicas para se organizar na produção de pratos congelados para o seu dia-a-dia

Quem tem uma vida corrida sabe que organizar a alimentação é um dos fatores fundamentais para mantermos a saúde. Nem sempre é fácil encontrar boas opções pelas ruas, além do alto custo, é claro. Então vale a pena tirarmos umas horinhas do final de semana para preparar alguns pratos e deixar congelados para uma ou duas (ou até mais) semanas!

foto post

Esses tempos falei no meu Snapchat (amabilekolenda) sobre essas dicas e o pessoal adorou, resolvi então transformar em post, até porque no snapchat as informações ficam apenas 24hrs.

Muita gente acha que é trabalhoso, mas é tudo questão de se organizar e acredito que eu possa ajudar com algumas dicas.

  • Faça um cardápio, divida em quantidades de cada grupo  você irá fazer, por exemplo: Frango 3 pratos, Peixe 3 pratos, Veggie 3 pratos, Lanches 2 opções, Acompanhamentos 5 opções. (você pode já montar pratos completos,mas eu gosto de fazer os acompanhamentos separados também);
  • Como elaborar esse cardápio? Pense em ingredientes que possam ser usados de maneiras variadas em diferentes pratos. Por exemplo: Abóbora – Escondidinho de abóbora, purê de abóbora, muffin de abóbora. Peito de frango – em cubos para um prato, desfiado para outro. Cenoura – ralada para um prato, picada para outros 2 pratos. Entendem? Assim otimizamos tempo e dinheiro!
  • Faça uma lista de compras.Depois do cardápio definido a lista de compras é fundamental para você saber o que comprar e não comprar coisas “a toa”. Caso não encontre algum ingrediente você pode já alterar o prato na hora, por isso leve o cardápio com você.
  • Na hora do preparo: organize sua cozinha. Utensílios são fundamentais como uma boa tábua, uma faca afiada, espátulas e colheres, bowls, e o que mais precisar usar.
  • Faça o mise in place! Mas o que é isso? Certamente você já assistiu a Ana Maria Braga alguma vez na vida. Aqueles potes com os ingredientes medidos, cortados e organizados, aquilo é mise in place. Corte todos os ingredientes da maneira que vai usar antes de iniciar realmente os trabalhos e coloque-os em bowls. Parece frescura, mas é a melhor forma de organizar e otimizar seu tempo. Imagina você com 4 panelas no fogo tendo que cortar 1 cebola por vez para cada uma, mas dai uma entra a cenoura ralada, outra entra o chuchu, outra o tomate.. e tudo tendo que ser cortado na hora, e tem que entrar logo, se não queima… Então, é pra isso que o mise in place serve!
  • Coloque para cozinhar o que demorar mais primeiro;
  • Vá lavando tudo que conseguir durante o processo, se não vira bagunça e você não vai conseguir se encontrar!
  • Encontre as embalagens que vai querer utilizar e já deixe próxima. Assim que os pratos forem saindo já vá montando e lavando as panelas para fazer o restante.
  • E por fim, encontre espaço do seu freezer para caber tudinho! haha

Enfim gente, e como tudo na vida, com a prática vai ficando mais rápido e fácil fazer as comidas, eu prometo! Espero que tenha ajudado!

 

Como higienizar e armazenar folhas?

Sempre que mostro essa dica nas redes sociais muita gente tem dúvidas. Aqui em casa eu compro folhas e elas duram tranquilamente até duas semanas. Como? Com simples truques para criar um ambiente perfeito para elas não queimarem ou murcharem!

alface

Primeiramente, assim que fizer feira já se organize para ter um tempinho quando chegar e higienizar e organizar tudo. Se elas forem para a geladeira sem proteção nenhuma já vão começar a murchar.

Então chegue em casa e lave as folhas. A maneira correta é deixar de molho em água com hipoclorito (você encontra facilmente em supermercados perto das verduras). Depois lavar bem e deixar de molho novamente em água. E então escorrer. Você vai ficar chocado com a quantidade de terrinhas que saem das folhas (além de um bixinho ou outro que passou despercebido…). O hipoclorito é importante porque ele mata as bactérias, tem gente que tem o costume de usar vinagre, mas ele não irá matar, irá apenas ajudar a retirar a sujeira.

Depois você deve secar bem as folhas, eu uso essas secadoras de folhas que são práticas e baratas, se não tiver, deixe escorrer bem e seque com um pano.

Coloque as folhas em sacos plásticos, pode usar com ziploc que assim a gente não faz tanto lixo já que eles são reaproveitáveis né?! Você pode usar um pote grande, com tampa,  também! Coloque as folhas e uma folha de papel toalha no canto de cada saco, ele irá equilibrar a umidade das folhas. Deixe o saco com um pouco de ar dentro, feche e leve a geladeira deixando sempre na parte mais baixa onde a geladeira não é tão gelada.

Faça o mesmo com todas os folhosos, brócolis, couve flor…

 

Gostam desse tipo de dica? Deixem perguntas e sugestões de temas para dicas rápidas que passo aqui para vocês!!

Ravioli de papel de arroz com recheio de abóbora com nozes

Essa receita foi estrela em alguns cursos passados, resolvi vir compartilhar com vocês, a ideia é muito simples e surpreende! Para quem não conhece o papel de arroz, ele é utilizado para fazer rolinhos recheados. É durinho, mas amolecemos em água e ele se torna uma folha transparente e elastica!

Ingredientes:

Papel de arroz (se encontra em lojas de produtos orientais)

Para o purê:

1/4 de abobora cabotia

1 colher de sopa de ghee ou azeite

1 punhado de nozes picadas

Sal, pimenta, noz moscada e açafrão da terra

Modo de preparo:

Primeiro faça o purê: asse ou cozinhe a abobóra (assada ela fica mais aveludada e com menos água), depois faça um purê e tempere com os ingredientes, misture as nozes e pronto!

Montagem:

Para usar o papel de arroz você deve amolece-lo em água morna, ela deve estar mais para quente, nas o suficiente para aguentarmos por nossa mão dentro.

Então coloque uma folha de cada vez ali. Coloque uma, deixe amolecer (1 minutinho), retire e estenda a folha na tábua. Coloque porções do purê com uma colher pequena.

Amoleça outra folha e coloque por cima.

Com a ajuda de um copo, ou o que desejar para dar o tamanho, corte os raviolis.

Com eles prontos, aqueça um pouco de azeite em uma frigideira anti-aderente e grelhe dos dois lados os raviolis. Ficarão crocantes!

Sirvo com molho pesto, que combina maravilhosamente!

Para a couve crocante: seque e corte as folhas, disponha em uma assadeira espalhando-a bem, leve em forno até secar e sirva imediatamente!

Espero que gostem! Podem usar o recheio que desejar também, claro!

Dicas de restaurantes em Cusco e Vale Sagrado

Quem me acompanha pelas redes sociais (@amabilekolenda) sabe que no começo do mês passei 10 dias no Peru (Cusco e Vale Sagrado), fui mostrando tudinho pelo Snapchat (Amabilekolenda) e muita gente me pediu para postar aqui as dicas da viagem. Quis focar nas dicas dos restaurantes que é o que mais se encaixa, mas vou passar umas dicas gerais também em outro post (se não ficará muito grande ok?)! Mas já adianto que é tudo lindo, incrível, e é uma viagem barata!

Começando por Cusco, que foi o lugar que ficamos mais tempo, a gastronomia sem dúvidas é um ponto alto. A cidade é grande, mas a parte turística se concentra em torna do Plaza de Armas (com certeza você ficará hospedado bem próximo e passará pela praça inúmeras vezes), por lá existem infinitos restaurantes, são portinhas que levam a restaurantes nos fundos ou no andar de cima, e todos os lugares que você entrar vai ter boa comida! Recebi indicações de vários restaurantes para ir conhecer mas também me deixei levar e provar os que apareciam no nosso caminhos!

Os cardápios são variados, com opções de pratos típicos e opções mais globais, por exemplo: todos os restaurantes servem pizza, mas também servem ceviche, lomo saltado, truta, quinoa… Todos os restaurantes tem opções vegetarianas e é fácil encontrar opção sem glúten e lácteos (como eu sou apenas intolerante a lactose – entre outras sensibilidades como ovo e cafeína – eu provei pratos com lácteos e glúten).

O primeiro restaurante que fui foi o Green Point, um restaurante vegano, orgânico, com diversas opções sem glúten e tudo feito na casa, eles também oferecem cursos (só descobri no último dia), e tem um cardápio enorme e maravilhoso, eles ainda tem uma lojinha ao lado que vende pães, kombuchá, castanhas… Pedi um hambúrguer de quinoa com pão sem glúten e batata doce frita. Acabei retornando outro dia a esse restaurante para o café da manhã e pedi uma waffle de banana com nutela caseira e geleia de morango, estava tudo muito bom! Tudo é muito bem servido, até demais haha, eu nem consegui acabar os pratos! Média de valores dos pratos: 25 soles

IMG_4557

Green Point – rua: Carmen Bajo (no bairro San Blas)

Perto do nosso hostel (ficamos na Calle Suecia – rua que desce direto no Plaza de Armas) vi uma placa de restaurante chamado Organika, e claro que com esse nome quis conhecer (aliás os orgânicos são a maioria por Cusco e Vale Sagrado), eles tem horta própria em Urubamba e recebem os insumos frescos diariamente, também fui duas vezes jantar. Provei o ceviche (entrada), a sopa de quinoa com legumes (vegana), a salada de truta defumada e meu marido foi de sanduíche de frango. Média de gasto para o casal de 45 soles.

Outro restaurante orgânico que fomos foi o Greens Organic, que fica na rua Santa Catalina Angosta, grudadinho ao Plaza de Armas, e também fomos duas vezes lá comer, adoramos as opções no cardápio e lógico, os pratos! Lá também tomamos coragem para provar alpaca, é muuito comum lá, e no geral os restaurantes tem mais opções com alpaca do que com carne bovina, e sim, a carne é deliciosa e bem parecida com a carne bovina! No Greens provamos o queijo andino empanado com quinoa e chimichurri de manga, um wrap de alpaca, massa orgânica caseira de quinoa (com trigo) ao molho branco com cogumelos e hambúrguer de alpaca. Nesse restaurante os garçons perguntaram se tínhamos alguma restrição alimentar. Esse é um restaurante mais caro, gasta-se em média 70 soles por casal.

Sem dúvidas o ponto alto gastronômico da viagem foi a visita ao Chicha, restaurante do Gaston Acurio, um dos grandes nomes da gastronomia peruana e do mundo. Eles servem menu degustação mas é necessário fazer reserva para o menu que custa cerca de 180 soles  (como eu não sabia, fiquei sem o menu degustação hahaha, mas foi incrível de qualquer maneira). O cardápio é maravilhoso, os garçons atenciosos e também perguntaram se havia alguma restrição alimentar, informei da minha intolerância, mas que tomaria a enzima (queria provar os pratos da sua forma original), eles então apenas confirmaram na escolha dos pratos que eles iam algo lácteo. Pedimos sucos para começar, pois as opções eram exóticas e com frutas locais que eu não conhecia: maravilhosos! Comecei pedindo um ceviche de mix de frutos do mar, que é uma entrada porém muito bem servida, nunca provei um ceviche como aquele, não faço ideia de como é feito o caldo vermelho, mas é apimentado e ácido na medida e simplesmente divido, sério. Meu marido pediu uma costela de cordeiro com cogumelos e purê de cenoura branca e eu fui de ossobuco com nhoque de batata roxa com molho com ervas. Foi difícil escolher o mais gostoso… De sobremesa pedimos esse globo sensacional com chocolate peruano com crocante de favas recheado com espuma de canela, sorvete de abobrinha com leite (sim, abobrinha), maçãs assadas e calda de caramelo e sal de maras, eu que não sou de doce pirei! Estava tudo tão equilibrado que eu comeria 5! hahaha Vale muito, muito a pena ir conhecer o restaurante, é muito maravilhoso! O valor dessa orgia gastronomia foi de 250 soles para o casal (se você for em um restaurante desse nível no Brasil vai gastar no mínimo 500 reais, e corre o risco de tão sair tão cheia quanto saímos do Chicha hahaha). Ele fica localizado na praça atras do Plaza de Armas, no Plaza Regocijo.

Ainda falando do Gastón Acurio, nos deparamos com a Papachos, uma hamburgueria que leva a assinatura dele. Meu marido é viciado em hambúrgueres, e eu também não resisto a um BOM hambúrguer, não estamos falando de fast food aqui, então decidimos ir jantar por lá. Os pratos também são gigaantes, você pode dividir um tranquilamente e ainda vai sobrar espaço para provar um sunday que provamos em outro dia e também é maravilhoso e vale cada caloria vazia e enzima ingerida haha! Tem também alguns pratos e sanduíches, além de opções de búrguer vegetariano! Um hambúrguer sai por volta de 30 e poucos soles, com acompanhamento (juro que comem duas pessoas!).

Para finalizar os pratos de Cusco, entramos em uma dessas portinhas misteriosas subindo as ruas de San Blas e achamos um restaurante ao fundo de uma loja que tinha uma decoração muito bonita, e isso foi suficiente para nos convidar a entrar. O nome é Macondo Café Concepto. Acertamos, pois a comida estava muito gostosa! Meu marido foi de Lomo saltado e eu de Frango recheado com espinafre e queijo andino. Valores por volta de 25 soles o prato.

Quanto as outras cidades, dormimos duas noites  em Ollantaytambo (nossa cidade preferida) e por lá também tem restaurantes deliciosos! Além do jantar no Gusteaus (da foto), almoçamos em um outro que tinham um ají de galinha muito bom, mas não anotamos o nome nem batemos foto, e tomamos café da manhã no Hearts Café, comi um sanduíche com abacate e um chicha morada muito bem preparados no pão caseiro! No Gusteaus pedi uma truta (prove a truta no Peru, é fresca, o rio corre por todo o vale sagrado, e o sabor é delicioso, todos os restaurantes servem somente a truta de peixe, não tem outras variedades) com quinoa e legumes e o meu marido foi de frango recheado que também estava ótimo! Média de 25 soles o prato. Local: Calle Estudiante

IMG_4969

 

Nossa única experiencia gastronomica ruim foi em Águas Calientes, a cidade que fica Machu Pichu, pedi um frango ao limão para não arriscar mas até isso ficou ruim hahaha, não lembro o restaurante mas uma amiga já havia comentado que realmente lá era a única cidade que tinha comido mal também, por sorte foi apenas um jantar! O custo é mais alto também pois a cidade é de difícil acesso e as coisas só chegam de trem.

Lá em Machupichu o ideal é conseguir levar um lanche, mas lá tem um restaurante buffet que era 100 e poucos soles 0 livre (muito caro!) e uma “lanchonete” que comemos um wrap de frango (tipo frango com maionese, bem básico) que estava bem gostoso mas também tem um valor alto (obviamente) saíam por 20 e poucos soles cada.

O próximo post será com algumas dicas sobre a viagem em si, já que recebi tantos pedidos! Vou falar também dos mercados e dos ingredientes, pois esse post já ficou muito grande né?! Mas espero que gostem e que seja útil para quem for viajar por lá!

 

Sopa de lentilha laranja vegana

Oi! Tá frio ne?! O que cai perfeitamente no frio? Sopa, lógico!

No geral minhas sopas não tem muita receita, corto muitos legumes, coloco um frango desfiado e ta pronta, mas essa de hoje foi sem frango e com uma junção que ficou maravilhosa! Já tem uma receita antiga aqui no blog de sopa com essa lentilha, mas essa versão ficou tão boa quanto!img_5848
1 xícara de lentihas laranja (deixar de molho por pelo menos 12 horas para ajudar na digestão e absorção de nutrientes)

1 cebola

1 cenoura

1 pimentão vermelho pequeno (opcional)

3 tomates (usei italiano)

1 colher de chá de páprica doce

1 colher de café de páprica picante

1 colher de chá de chimichurri (opcional – eu amo e uso muito)

*você pode colocar alho poró, salsinha, manjericao, louro.. As ervas que desejar!

Modo de preparo

Leve a lentilha para cozinhar por 5 minutos (ela cozinha muito rápido), escorra e reserve. Cozinhe a cenoura, pimentão e cebola até a cenoura ficar macia. Leve ao liquidificador a lentilha, os tomates e os legumes cozidos, adicione água do cozimento aos poucos para dar o ponto que desejar!

Volte a panela e adicione os temperos, acerte o sal. Sirva com salsinha ou coentro fresco picado e um fio de azeite!

Próximo Curso em Florianópolis

O próximo curso de Floripa é um curso que eu amo: Tortas doces e salgadas, mas esse especificamente ainda será low carb, melhor ainda né?!IMG_4475

“Tortas são práticas e leves e podem ser servidas em todas as refeições. Podem ser o prato principal de um almoço, acompanhando uma salada ou ser um delicioso café da tarde, além de claro, as doces poderem ser sobremesas ou, também lanches! Vou  mostrar como é pratico preparar tortas com bases e recheios diferentes, para depois você poder recriar com os sabores que desejar. Nesse especificamente todas as preparações serão low carb (com farinhas com baixo teor de carboidrato e sem açúcar)!”

Faremos um empadão de frango, uma torta sem massa de beringela, uma torta de espinafre com molho branco enrolada e vamos finalizar com uam chessecake de tofu com massa de cacau e geleia de frutas vermelhas super funcional e maravilhosa!

Data: 29/06

Local: Studio de Nutrição Gismari Bertoncelo

Contato para inscrições: 3225-8566 ou contato@studiodenutricao.com.br

Horário: 19:00 às 22:00hrs

 

*Para saber de outros cursos só clicar na página aqui do blog “Agenda de Cursos